Médico francês diz encontrado a cura para o alcoolismo

4035

A Organização Mundial da Saúde reconheceu o alcoolismo como doença ha cerca de 50 anos, e pesquisas recentes mostram que cerca de 3,3 milhões de pessoas morrem por ano em decorrência do alcoolismo. Fonte: Saúde Plena

Um estudo feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) entre 2006 e 2010 mostrou que o álcool é a droga que mais mata no Brasil. Fonte: Gazeta do Poder

A CURA DO ALCOOLISMO

Olivier Ameisen, um dos mais conceituados cardiologistas franceses, alega que ele mesmo conseguiu abandonar o vício usando uma droga hoje receitada para relaxar os músculos chamada baclofen.

O livro em que narra sua experiência, Le Derrier Verre (“O Último Copo”, em tradução livre) ele pede para que cientistas façam testes clínicos para provar que o baclofen elimina o desejo de beber.

A popularização do livro por meio da imprensa francesa levou muitos alcoólatras a buscarem o mesmo tratamento, e alguns médicos de fato revelaram que seus pacientes tiveram sucesso ao usar a droga contra o alcoolismo.

Mas outros especialistas mantêm o ceticismo, advertindo para o perigo por trás das chamadas “curas milagrosas”.

A Globo fez uma matéria sobre o assunto. (Observe na matéria, que mesmo após doutor Olivier Ameisen ter provado sua tese sendo sua própria “cobaia”, já que se curou do vício usando o remédio, médicos teimam no ceticismo e não acreditam que o remédio possa curar o alcoolismo, que dizem ser incurável)

Assista:

“Precisava de álcool”

Ameisen era professor de cardiologia na Universidade Cornell, de Nova York, e em 1994 abriu um lucrativo consultório em Manhattan.

Mas, acometido de um forte sensação de insegurança – ele se sentia como “um impostor esperando ser desmascarado” – ele passou a procurar alívio em grandes doses de uísque e gim.

 Meu caso é o primeiro em que um tratamento médico suprimiu completamente o vício em álcool. Hoje, eu posso beber um copo e não tem efeito. Acima de tudo, eu não tenho aquela necessidade irresistível de beber.
Olivier Ameisen

“Eu detestava o gosto do álcool. Mas eu precisava de seus efeitos para existir em sociedade”, diz o livro.

O médico diz que tentou todos os recursos conhecidos para acabar com sua dependência. Entre 1997 e 1999, ele passou um total de nove meses confinado em clínicas para alcoólatras, mas nada funcionou.

Temendo pela segurança de seus próprios pacientes, Ameisen decidiu parar de atendê-los e voltou a Paris. Então, em 2000, ele leu um artigo sobre um americano que foi tratado com baclofen para espasmos musculares, mas alegou que, durante o tratamento, sentiu que ficou mais fácil abandonar seu vício em cocaína.

Estudos adicionais revelaram que a droga ajudava cobaias a se livrarem do vício em álcool ou cocaína. Contudo, para a surpresa do cardiologista, especialistas em dependência desconheciam o baclofen.

Em março de 2002, ele começou a testar a droga em si mesmo com doses diárias de cinco miligramas.

“Os efeitos iniciais foram um relaxamento muscular mágico e um sono de bebê”, disse Ameisen. Quase imediatamente, ele passou a sentir menos vontade de beber.

Gradualmente, ele aumentou para a dosagem máxima de 270 mg e então se viu “curado”. Hoje, usa, de 30mg a 50 mg por dia.

 Nós precisamos de testes abrangentes para determinar como a droga age, se é eficiente e em qual dose, e se é verdadeiramente inofensiva no logo prazo.
Alain Rigaud, presidente da Associação Nacional para a Prevenção do Alcoolismo e da Dependência da França

“Meu caso é o primeiro em que um tratamento médico suprimiu completamente o vício em álcool”, alega. “Hoje, eu posso beber um copo e não tem efeito. Acima de tudo, eu não tenho aquela necessidade irresistível de beber.”

O livro do doutor Olivier Ameisen se tornou um best seller na França e fez com que diversos alcoólatras em tratamento pressionassem seus médicos para lhes prescreverem o remédio “milagroso” indicado por Oliver. Como esperado, diversos pacientes ao fazerem uso do medicamento tiveram resultados excelentes.

Em Genebra, o doutor Pascal Garche disse ter submetido 12 pacientes ao tratamento, dos quais sete mostraram notável melhoria.

“Nunca tive reações como estas antes. Não podemos ignorar descobertas como essa”, disse.

Infelizmente o livro de Olivier Ameisen foi publicado a vários anos, mas não há informações sobre qualquer investimento científico para estudar os benefícios do “milagroso remédio” que promete e provou sua eficácia no tratamento de pacientes de alcoolismo. Fonte: BBC

Sem comprovação científica, o remédio que poderia evitar um verdadeiro massacre anual de mais de 3 milhões de pessoas, que morrem em decorrência do álcool, ainda não é usado medicinalmente para este fim. A pergunta que fica é. Por quê?

Talvez a tese deste cientista, seja a mais provável: Nobel de medicina confirma: “A cura de doenças não é lucrativa para a indústria farmacêutica”

A CURA DO CÂNCER:

Um exemplo semelhante é a pílula, que, segundo seu criador pode curar o câncer. Assim como Olivier Ameisen, ele usou em sí mesmo e foi curado. Ele é Brasileiro. Infelizmente sua produção e distribuição foi proibida no Brasil. Veja a matéria: DENUNCIA!! Brasileiro descobre o que pode ser a cura do câncer e vai preso

O CÚMULO DA  PERVERSÃO HUMANA: Empresário compra patente de remédio usado em pacientes de AIDS e malária e aumenta preço em 5.000 %

Deixe seu comentário!