Ação de Frota contra Jean Wyllys é arquivada com alegação de imunidade parlamentar do ex-BBB

234

Após o ator Alexandre Frota prestar queixa no Supremo, contra o deputado Jean Wyllys, por calúnia e difamação, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, arquivou o processo alegando imunidade parlamentar do deputado, e a afirmando que o mesmo não teve intenção de ofender o ator.

O pedido foi feito com base em um post na rede social Facebook que, o deputado teria republicado, afirmando que o ator teria cometido crime de estupro e que teria se manifestado contra religiões africanas.

Os advogados de Jean Wyllys, liderados pelo criminalista Bruno Espinera Lemos, argumentaram que Frota concedeu uma entrevista em um programa humorístico contando histórias da sua vida profissional e pessoal e, em determinado momento fez afirmações expressas que denotavam a prática de uma violência sexual que, teria sido cometida contra uma mulher, uma mãe de santo.

Veja o vídeo:

A defesa alegou que os deputados têm garantida a liberdade de expressão. “Mas os ministros reconheceram que as próprias declarações de Frota feitas publicamente poderiam ser consideradas por delitos de sexismo, racismo, entre outras.”

Em sua defesa, Jean Wyllys reproduziu uma série de posts de Frota contra sua pessoa.

Fonte: Istoé e O Globo.

 

VEJA TAMBÉM:

 

 

Desembargador afastado acusado de vendas de ‘Habeas Corpus’ vai receber mais de R$100 mil em auxílio-moradia

Vários sindicatos entram na justiça para tirar quadros de presidentes da ditadura do Palácio do Planalto. “Distorce a memória nacional”

Quatro idosos contraíram infecção de vacina e enfermeira disse que “não tinha tempo de lavar as mãos”

Adolescente de 14 anos mata vizinha de 13, apenas porquê “deu vontade”

Deixe seu comentário!