Após morte de integrantes do MST durante invasões deputado petista critica sociedade e judiciário

1344

Os últimos meses não tem sido muito bons para os “companheiros” do MST, a  sociedade parece não estar nada satisfeita com as ações do movimento, a alguns dias divulgamos uma ação frustrada de invasores sem terra que foram expulsos por moradores visinhos ao terreno invadido, veja novamente: População revoltada expulsa Invasores “sem terra”. O fato data do mês de abril.

Os últimos casos, no entanto, ocorridos  no mês de maio foram o estopim para uma reação do PT, através do deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), que, depois da morte de 3 integrantes do MST, se disse chocado, colocou a culpa no que classificou de “sociedade conservadora” e criticou o judiciário, segundo ele, “Juízes são tão rápidos em expedir reintegrações e tão morosos para julgar os casos de assassinatos contra trabalhadores”.

“Segundo informações, primeiro assassinato aconteceu no Paraná, no que eles chamam de ‘assentamento Sétimo Garibaldi’ por volta das 19h30 do dia 4 de maio, município de Terra Rica. O militante do MST Valdair Roque, conhecido por Sopa. No dia 6 de maio, no Rio Grande do Norte, após uma mobilização com 500 militantes da região de Apodi, Francisco Laci Gurgel Fernandes, conhecido por Chacal, e Francisco Alcivan Nunes de Paiva. Ambos foram executados a bala.” (Com informações Congresso em Foco)

Veja também:
Lider do MST diz que movimentos sociais se unirão em protesto contra Joaquim Barbosa no próximo dia 29
Ex-integrante do MST faz denuncias gravíssimas contra o movimento. Assista
Deputado Paulo Ramos quer homenagear MST como o principal movimento social do Brasil

 

Deixe seu comentário!