Barbosa sobre afrontas que tem sofrido – “Eu me permito o direito de aguardar o momento oportuno para desmascarar esses bandidos”

835

Desde o julgamento do mensalão, em que o ministro Joaquim Barbosa, atual presidente do Supremo Tribunal Federal, atuou de forma incisiva e enérgica, inclusive protagonizando discussões amargas com outros ministros no Supremo, e, com o atual momento em que o Brasil enfrenta e presencia tanta corrupção, Barbosa tem sido muito respeitado pelo povo e, inclusive convidado a pleitear cargos públicos, não obstante, para presidência da república.

Em entrevista a Miriam Leitão ainda em 2013, Joaquim Barbosa comentou a “perseguição” que estaria sofrendo por parte de setores da grande mídia e de blogs “anônimos”.

A partir do momento em que despontou como candidato favorito à Presidência da República em pesquisa realizada pelo Datafolha em manifestação de São Paulo, passou a ser mais visado e investigado.

Segundo relatos publicados nas redes sociais, Franklin Martins, assessor de Dilma, teria avançado com blogueiros “amigos do governo” o vasculhamento da vida pessoal do ministro, tendo em vista que este seria um potencial e perigoso concorrente. A intenção seria “mostrar que ele é como os políticos”.

Desde então, Joaquim Barbosa foi acusado de comprar um apartamento ilegalmente nos EUA, ferindo estatuto público, além de emergirem informações sobre relacionamento de seu filho com a Rede Globo, entre outros.

Barbosa falou do preconceito e receio de sua candidatura por alguns, que, inclusive estão atuando de forma inescrupulosa para manchar sua imagem: “Há milhares de pessoas públicas no Brasil. No entanto os jornais não saem por aí expondo a vida privada dessas pessoas públicas. Pegue os últimos dez presidentes do Supremo Tribunal Federal e compare. É um erro achar que um jornal pode tudo. Os jornais e jornalistas têm limites. São esses limites que vêm sendo ultrapassados por força desse temor de que eu eventualmente me torne candidato”.

Continuando: “No momento em que um candidato negro se apresente, esses bolsões [de preconceito] se insurgirão de maneira violenta contra esse candidato. Já há sinais disso na mídia. As investidas da Folha de S.Paulo contra mim já são um sinal. A Folha de S.Paulo expôs meu filho, numa entrevista de emprego. No domingo passado, houve uma violação brutal da minha privacidade. O jornal se achou no direito de expor a compra de um imóvel modesto nos Estados Unidos. Tirei dinheiro da minha conta bancária, enviei o dinheiro por meios legais, previstos na legislação, declarei a compra no Imposto de Renda. Não vejo a mesma exposição da vida privada de pessoas altamente suspeitas da prática de crime”.

Demonstrando irritação com as afrontas que vem sofrendo, Barbosa advertiu: “. Nos últimos meses, venho sendo objeto de ataques também por parte de uma mídia subterrânea, inclusive blogs anônimos. Só faço um alerta: a Constituição brasileira proíbe o anonimato, eu teria meios de, no momento devido, através do Judiciário, identificar quem são essas pessoas e quem as financia. Eu me permito o direito de aguardar o momento oportuno para desmascarar esses bandidos”.

Revolta Brasil (com informações Miriam Leitão/O Globo e Folha Política)

Deixe seu comentário!