Cartel de Trens em São Paulo superfaturou cerca de R$ 110 milhões, segundo promotor

0
1965

O promotor de justiça Marcelo Mendron denunciou onze executivos de seis empresas e um funcionário da CPTM pela suspeita de superfaturamento em 3 contratos em 2007, durante a gestão de José Serra (PSDB) no governo de São Paulo.

As empresas só montam cartel para superfaturar contratos. No caso desses três contratos, que somam R$ 550 milhões, em valores de 2007, estimamos que o superfaturamento tenha sido de 20%, ou R$ 110 milhões”, afirmou o promotor.

A acusação divulgada nesta sexta feira, 17 e publicada pelo portal Estadão, se refere a contratos da CPTM, três ao todo, firmados no governo José Serra (PSDB). O ex-governador não é citado na denúncia. A investigação teve início a partir do acesso a e-mails dos executivos interceptados pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), órgão antitruste do governo federal. Com autorização judicial, em maio de 2013, o CADE fez buscas nos endereços de 18 empresas, entre elas gigantes multinacionais, e copiou as correspondências que versam sobre combinações em licitações.

“As pessoas que foram denunciadas foram citadas a partir de e-mails que recebemos da superintendência do CADE. Confrontamos o que foi combinado com o andamento das licitações e para termos certeza que de fato houve uma ação de cartel”, destaca o promotor.

Com informações Estadão, editado por Revolta Brasil

Veja também:

Trensalão Tucano provocou prejuízo de mais de R$ 300 milhões para SP
Collor diz que seu Impeachment foi resultado de um golpe parlamentar
Documentos do governo dos EUA afirmam que
Dilma roubou bancos no período militar

 

Deixe seu comentário!