Na CPI, Yousseff confirma pagamento de propina de R$ 6 milhões, sob ordem de Gabrielli e Lula

0
1213

A propina de R$ 6 milhões, que teria sido paga a uma agência, a Muranno Marketing Brasil, em 2010, a pedido do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, foi dividida pelo PP e PT, segundo Yousseff, em depoimento nesta segunda (11), na CPI da Petrobras, em Curitiba.

“O Paulo Roberto Costa passou para que eu procurasse a Muranno e outra agência para que pagasse”, falou o doleiro diretamente do presídio no Paraná, onde esta preso desde março.

Durante a delação, para a polícia federal, o doleiro já havia falado sobre este fato, em 2014. Segundo o doleiro, o valor pago para a Muranno foi uma ordem do ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli, que teria sido acionado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Youssef revelou ainda que quase a totalidade dos R$ 7 milhões que a Muranno e outra agência de publicidade do Rio tinham a receber foi paga com dinheiro de propina. Segundo ele, quem pagou a parte do PT foi o lobista Julio Camargo, representante no Brasil do Grupo Mitsui.

“Em determinado momento, Julio Camargo fez os repasses da parte da conta do PT.”

E mesmo com tudo isso, o PT continua sendo louvado por milhões como o partido que salvou o Brasil e continua sendo uma sigla política registrada no TSE, que mesmo com tantas denuncias e confissões de ilegalidades ainda não cassou a licença do PT para atuar como partido político.

Com informações Diário do Poder

Deixe seu comentário!