Cunha nega, mas banco suíço entrega documentos de contas secretas atribuídas a ele e familiares

1578

As informações foram divulgadas em primeira mão pela Folha de S. Paulo.

Segundo a reportagem da Folha, o banco suíço Julius Baer informou à autoridades suíças que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, e familiares, são beneficiários de uma conta secreta onde está depositada a quantia de 2,4 milhões de dólares (R$ 9,3 milhões). Os valores estão bloqueados.

Ainda segundo a Folha, ainda não foi confirmado de Cunha pessoalmente movimentavas os valores ou se o fazia através de procuradores. A reportagem também lembra que os valores informados na Conta secreta são menores do que os US$ 5 milhões que o delator Júlio Camargo afirmou ter pago à Cunha para ter viabilizado um contrato com a Petrobras de Navios-Sonda.

A matéria ainda afirma que os valores depositados na conta suíça não constam na declaração de imposto de renda de Cunha, que nega ter contas bancárias no exterior.

“Os recursos estão bloqueados desde abril, quando o próprio Julius Baer reportou as suspeitas de origem ilícita do dinheiro ao escritório do procurador-geral da Suíça, Michael Lauber. O Ministério Público do país europeu instaurou um inquérito contra Cunha por suspeita de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.” (Trecho de reportagem da Folha de S. Paulo)

A Folha disse ter procurado Eduardo Cunha para comentar o assunto, mas sua assessoria disse que o deputado não se manifestaria sobre o assunto.

Ao ser questionado por emissoras de TV se deixaria o cargo ou pediria afastamento da Câmara, ele foi enfático ao dizer que não se afastará da presidência nem se licenciará da casa.

Deixe seu comentário!