Delator confessa que aval de Lula garantiu contrato bilionário que perdoou dívida do PT

6101

Fatos graves, que se de fato forem à delação dificilmente deixarão Lula longe das “garras” do malvado Juiz Moro. 

Implicante – Salim Schahin é um dos acionistas do grupo Schahin. Ele acordou com a Lava Jato há uma semana uma delação premiada. Segundo seu relato, o aval de Lula foi decisivo para a assinatura de um contrato de R$ 1,6 bilhão com a Petrobras. Desta forma, o PT não precisaria mais quitar com o banco Schahin uma dívida milionária ainda da campanha que reelegeu o petista em 2006. Quem teria intermediado a negociação seria o empresário José Carlos Bumlai, um dos melhores amigos do ex-presidente.

Jornal da Globo mostra vídeo em que Lula admite que o PT mentiu para ganhar eleições

Salim deu detalhes do acordo: foi selado num escritório na rua Vergueiro, em São Paulo, o empréstimo foi contraído por Bumlai, que apresentou o filho e a nora como avalistas. Disse também que os valores acordados eram muito superiores à média. Bumlai nunca pagaria esse empréstimo, mas teria a dívida perdoada em 2009, dois anos após o contrato com a Petrobras.

No facebook, o senador de Goiás pelo DEM, Ronaldo Caiado, comentou a reportagem: “Confirmada essa delação, a justiça tem dados mais do que suficientes para investigar Lula e sua rede de tráfico de influências que teria sido construída durante esses anos de PT no poder. Indícios e provas não faltam. Os brasileiros aguardam com ansiedade o desenrolar dessa história.”

Em entrevista, Lula afirma não acreditar que será preso

Deixe seu comentário!