Delegado da PF de Goiás que atuava como informante de Cachoeira é condenado á 22 anos de prisão

852
Fernando Antônio Hereda Byron Filho, delegado da Polícia Federal e Carlinhos Cachoeira

Fernando Antônio Hereda Byron Filho, delegado da Polícia Federal foi condenado 22 anos e nove meses de prisão, mais sete meses de detenção pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva, advocacia administrativa e violação de sigilo funcional, pois passava informações das operações para o contraventor Carlinhos Cachoeira e seu grupo criminoso que atuava em Goiás.

O juiz determinou também a perda do cargo do delegado e o pagamento de 680 dias-multa, sendo cada dia-multa fixado em 1/20 do salário mínimo vigente à época dos fatos, incidindo correção monetária.

Deflagrada em 2012 a Operação Monte Carlo, desarticulou a quadrilha de Cachoeira, que explorava jogos de azar na região. Byron se comunicava diretamente com Cachoeira por meio de um aparelho Nextel, que eles acreditavam que não poderia ser grampeado.

Fonte: Revista Veja e O Popular.

 

VEJA TAMBÉM:

Indo cumprir prisão domiciliar, boa aparência de Adriana Ancelmo ao sair da presídio gera polêmica

Enfermeiras são demitidas após dançarem durante cirurgia com paciente nua. Veja o vídeo:

Traficantes roubam carga e mandam foto de arsenal desafiando a polícia: “vem aqui buscar”

A mais nova de Paulo Henrique Amorim : “…Moro quebrou o Brasil”

Em nova entrevista Ciro recua e desiste de receber a ‘turma do Moro à bala’. Assista

 

Deixe seu comentário!