Dívida bilionária sonegada pelo Banco Itaú é perdoada pelo Governo Temer

3222

O Itaú-Unibanco devia cerca de R$ 20 bilhões em não pagamento de impostos e teve divida perdoada pela União. O favorecimento foi dado pelo O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda.

A infração cometida foi em 2013, quando a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional atuou o banco após sua junção com o Unibanco mascarou ganhos de capital. De acordo com o Fisco, tais ganhos resultantes da fusão deveriam ter sido declarados para cobrança de tributos e recolhidos.

O conselheiro João Carlos de Figueiredo Neto foi preso pela Polícia Federal acusado de cobrar propina para dar uma posição favorável ao Itaú no ano de 2016.

Em nota o banco Itaú disse que a fusão foi aprovada em conformidade pelo Banco Central, pela Comissão de Valores Imobiliários e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Em relação à prisão de 2016, o banco diz ter sido “vítima” da má conduta de Figueiredo e ter contribuído para apontar o desvio ético do ex-conselheiro.

Fonte: Revista Fórum e Bancários RJ.

 

VEJA TAMBÉM:

Colegas de sala pediram e estudante é expulsa da universidade por não concordar com o comunismo

Donos da ‘Playboy’ brasileira são acusados de oferecer crescimento na revista em troca de sexo com as modelos

Enviaram R$ 200 mil não declarados para Bolsonaro. Ele fez um cheque e devolveu

Se você usa usa ou conhece alguém que usa o celular na direção, veja este vídeo e mostre pra alguém

Lembra da brincadeira da ‘vaca amarela’? Sergio Moro disse pra Cabral não brincar e responder sua pergunta

 

 

Deixe seu comentário!