Em Copacabana, refugiado sírio é o chamado de “homem-bomba” e acusado de ‘esquartejar crianças’

336

Copacabana, na Zona Sul do Rio, foi cenário de uma lamentável cena na ultima semana.

Um refugiado Sírio, que foi vítima de um ataque, Mohamed Ali veio para o Brasil para poder fugir do horror da guerra que seu país vive. Enquanto ele trabalhava na rua vendendo vende esfirras e outros quitutes árabes, foi alvo de ofensas, por causa do ponto de venda.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra um homem com dois pedaços de madeira nas mãos gritando: “saia do meu país! Eu sou brasileiro e estou vendo meu país ser invadido por esses homens-bombas que mataram, esquartejaram crianças, adolescentes. São miseráveis”.

Veja o vídeo:

Sem entender o que estava acontecendo, Mohamed questionada a razão para a agressividade, outros comerciantes chegam a derrubar a mercadoria dele no chão.

Eu não entendi muito bem porque ele veio brigar comigo. De repente ele começou a gritar e me pedir para sair. Ele falava muito rápido e não consegui compreender algumas coisas. Outras pessoas que estavam traduzindo para mim. Sei que ele falou que os muçulmanos estavam invadindo o país e falando de homens-bomba. Não esperava que isso pudesse acontecer comigo. Vim para o Brasil porque a guerra me fez vir para cá. Vim com amor, porque os amigos sempre diziam que o Brasil aceita muito outras culturas e religiões, e as pessoas são amáveis e todos os refugiados procuram paz. Não sou terrorista, se eu fosse, eu não estaria aqui, estaria lá — disse.

Fonte: O Globo e Portal do Holanda.

 

VEJA TAMBÉM:

Trem pretende alcançar velocidade de 1200 km/h e fazer percurso de SP à Fortaleza em 2 horas

Criança de 4 anos morre com tiro na cabeça enquanto pai vendia frango na porta de casa

Pai é esfaqueado pela própria filha ao negar um pedaço de cana

Advogado negro é barrado na portaria de uma bar por estar ‘vestido como segurança’

Deixe seu comentário!