Em entrevista, Joaquim Barbosa diz que pode ser a hora de deixar o STF e seguir carreira política

2940

Revista Veja deste fim de semana tem declaração bombástica de Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal: “acho que chegou a hora de sair”; no último sábado, o ex-presidente Lula o instou a sair da toca e se assumir como realmente é: um político e não um juiz; caso entre na disputa presidencial, Barbosa poderá assegurar um segundo turno; no entanto, ele também desmoralizaria de vez o julgamento da Ação Penal 470, que passará a ser lembrado como seu trampolim para a carreira eleitoral; em compensação, Poder Judiciário voltaria à normalidade

247 – A revista Veja deste fim de semana traz uma declaração bombástica de Joaquim Barbosa. “Acho que chegou a hora de sair”, diz o presidente do Supremo Tribunal Federal.

Caso seja verdadeira a intenção, Barbosa fará um bem ao Poder Judiciário, permitindo que a suprema corte retome sua normalidade – nesta semana, ao rever, de forma monocrática uma decisão de Ricardo Lewandowski sobre o pedido de trabalho de José Dirceu, ele rasgou o regimento interno do STF e suprimiu o direito constitucional de um réu (leia mais aqui).

No entanto, o movimento de Barbosa poderá ter sérias repercussões políticas. De acordo com o Datafolha, ele teria cerca de 15% das intenções de voto e poderia provocar um segundo turno, caso decida se candidatar à presidência da República.

No último sábado, em Ribeirão Preto (SP), o ex-presidente Lula instou Barbosa e se assumir pelo que realmente é: um político, e não um juiz. “Mostre a cara”, disse Lula (leia mais aqui).

A carreira política de Barbosa, caso essa seja sua intenção, serviria, ao menos, para desmoralizar de vez o julgamento da Ação Penal 470. Provaria que, em vez de um julgamento sério e justo, foi apenas o trampolim para as ambições eleitorais de um aventureiro.

(Mais informações sobre a fala de Joaquim Barbosa serão publicadas neste sábado, tão logo a revista esteja disponível)

Deixe seu comentário!