Igreja criada para cultuar a maconha é reconhecida pelo Estado e tem isenção fiscal

1698

Bill Levin, de 59 anos, vive no estado de Indianápolis, nos Estados Unidos, e, aproveitou uma brecha na lei local, que proíbe o consumo de maconha, mas prevê que cultos religiosos não devem ter qualquer censura, para abrir a primeira igreja da maconha reconhecida no mundo e cultuar a famosa canabis.

Segundo o pastor Bill, da igreja da maconha, sua fonte de culto “é a planta mais saudável que existe no planeta”.

O esperto “pastor” fundou a igreja em março deste ano, aproveitando a nova lei de “liberdade religiosa” que passou a vigorar em Indiana.

“Eu vi o que realmente dizia a lei e aí entrei em um transe profundo e religioso com a cannabis, falei com Deus, ele tocou minha mão e me disse como fazer”, afirmou Bill.

Aproveitando a brecha criada pela tal lei, o fundador da igreja da maconha conseguiu que sua igreja fosse reconhecida pelo Estado e, assim como todas as outras, passasse a ter total isenção fiscal.

A igreja já tem 700 fieis dizimistas, que contribuem, segundo informa o portal inglês BBC, com US$ 50,40 por um ano ou US$ 100,80 por dois anos. A “Primeira Igreja a Maconha” também tem uma página no facebook que já conta com quase 40 mil seguidores.

Com informações: BBC

Deixe seu comentário!