Venezuela proíbe líderes latinos de acompanharem eleições no país por criticarem governo

0
1219

Líderes latinos que acompanhavam as votações deste domingo nas eleições legislativas nacionais da Venezuela tiveram suas licenças cassadas, sob o argumento de terem violado a lei do país que proíbe acompanhantes estrangeiros de darem declarações sobre o processo eleitoral venezuelano.

3 líderes latinos opositores ao regime chavista comandado desde a morte de Chaves pelo ditador Maduro, todos ex-presidentes de países Latino-Americanos, Jorge Quiroga, da Bolívia, Andrés Pastrana da Colômbia e Luis Alberto Lacalle do Uruguai, após concederem entrevista coletiva da coalizão do principal partido opositor do governo (MUD) – Mesa de Unidade Democrática.

A Queda do Foro de São Paulo: Venezuela vai às urnas hoje e oposição é favorita

Quiroga criticou os abusos do governo no dia da votação. “É lamentável que [o secretário-geral da OEA, Luis] Almagro expõe nesta carta toda a vantagem do governo e é triste ver como isto continua acontecendo no dia da eleição.” Já Pastrana expressou sua “preocupação pela censura que os meios de comunicação tiveram para não falarem” sobre os membro

Já Pastrana expressou sua “preocupação pela censura que os meios de comunicação tiveram para não falarem” sobre os membros da oposição e pediu que o governo reconhecesse os resultados eleitorais. Os três parabenizaram os venezuelanos pela ampla participação durante a eleição, segundo o jornal “El Nacional”. Para Tibisay Lucena, as declarações dos

Na ditadura da Venezuela, opositor de Maduro é assassinado durante evento político

O presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello, disse que pedirá a expulsão dos três. “Rejeitamos de forma contundente as declarações deles, que foram pouco amistosas, fora de lugar e de contexto.”

Ele acusou os 3 de terem ido à Venezuela fazerem jogo sujo nas eleições do país.

Promotor foge da Venezuela e faz vídeo denunciando farsa no julgamento do opositor de Maduro

Ou seja, liberdade de expressão é coisa rara alí.

Com informações:Folha de S. Paulo

Na Venezuela, do “cumpanheiro” Maduro, escassez de alimentos faz traficantes venderem comida

Deixe seu comentário!