A presidente que chora pela morte de um traficante e ignora mortes diárias de heróis

0
3274

A morte de um traficante

A famigerada notícia da morte do brasileiro Marco Archer condenado por tráfico na Indonésia, fato que se deu quando Marco foi preso em 2003  no aeroporto do país em questão com posse de cerca de 13 krs de cocaína. De acordo com as leis da Indonésia o tráfico de drogas é condenado com a pena de morte por fuzilamento. Em 2004 ele foi condenado e dia 17 de janeiro de 2015 sua pena foi executada. Marco foi fuzilado.

O caso alcançou repercussão nacional e o traficante passou de infrator da lei para uma vítima do governo da Indonésia. O governo brasileiro através de Dilma pessoalmente tentou contato por telefone diariamente na ultima semana até que na sexta-feira conseguiu falar com o presidente Joko Widodo, da Indonésia, a presidente brasileira pediu clemencia para Marco mas não teve seu pedido atendido por Joko, que manteve a pena do brasileiro.

Após a morte de Marco Dilma lançou uma nota oficial, a qual postou também em seu facebook oficial falando de seu pesar pela morte de Marco Archer, o traficante brasileiro, que sabia dos riscos que corria e da dureza das leis da Indonésia e mesmo assim assumiu o risco de transportar drogas para aquele país. Dilma demonstrou consternação e irritação com a morte de Marco, disse que chamou o Consul brasileiro na Indonésia para consulta e deixou claro que a relação entre os dois países foi abalada com o fato.

A morte de um herói

Policiais, desprezados pela sociedade, sucateados pelo governo, heróis por excelência, diariamente saem às ruas de um dos países mais violentos do mundo para proteger aqueles que tanto os apedrejam, aqueles que tantos os criticam mas tem sempre o 190 na ponta da língua. Daquele país que tem como governantes pessoas que deveriam prezar pelo bem da sociedade e por seus guardiães, mas preferem se preocupar em corromper a democracia, em roubar do povo e em defender bandidos.

Nenhum policial estampou a página da presidente com um pesar por sua morte ou uma gratidão por salvar uma vida, nenhum policial foi responsável por uma nota oficial da presidência da república. Mas cada policial é um herói por excelência, porque mesmo com o risco da própria vida continua diuturnamente saindo de suas casas e suas famílias para salvar as vidas daqueles que tanto os perseguem e apedrejam. Agora mesmo um herói de farda está morrendo para salvar vidas, agora mesmo um país chora, não por este herói, que dificilmente será lembrado, mas por bandidos presos, por bandidos mortos, por personagens de novela que não tiveram um final feliz, por um traficante internacional que pagou pelo erro que cometeu. Esse é um país chamado Brasil.

 

Deixe seu comentário!