Sonegação de impostos por hora no Brasil daria para pagar duas Copas do Mundo de 2014

1485

Informações do SONEGÔMETRO dão conta de que por hora são sonegados mais de R$ 57 bilhões em impostos, que deixam de ser arrecadados pelo governo brasileiro.

Em comparação aos gastos superfaturados da Copa de 2014 no Brasil, que foi alvo de diversos protestos e críticas, que, segundo dados oficiais do governo, divulgados através do Portal da Transparência – Copa 2014, custou R$ 25.617.754.079,81 (pouco mais de R$ 25,6 bilhões). O que o brasileiro sonega por hora daria para financiar 2 Copas do Mundo de 2014.

Em 2014, até agora, 19 de agosto, o país deixou de arrecadar cerca de R$ 317 bilhões em impostos.

*Um país que cobra impostos para as rodovias, as entrega nas mãos de concessionárias, que cobram pedágios do cidadão.
*Um país que arrecada para fornecer segurança pública ao cidadão, que precisa investir em muros altos, cercas elétricas e aparelhos de segurança para garantir o mínimo de sossego diante dos altos índices de criminalidade.
*Um país que cobra impostos para entregar uma educação pública às crianças que é tida como uma das piores do mundo, e aquele que pode, acaba investindo em escolas particulares para os filhos
Um país que cobra impostos para fornecer uma aposentadoria baixíssima, em geral de um salário mínimo aos idosos, que, se querem ter uma velhice com um pouco mais de tranquilidade precisam investir em previdência privada.
*Um país que cobra impostos para fornecer um sistema de saúde sucateado ao povo, que se quiser um bom tratamento precisa investir em planos de saúde privados.
*Um país que cobra impostos do povo para fornecer um transporte público péssimo, e ainda cobra taxas por ele, aquele que quer o mínimo de tranquilidade e conforto precisa investir em meios alternativos de transporte, para fugir do transporte público.

Em um país onde o povo tem o pior retorno do mundo em investimentos do governo em benefícios para a população dos impostos pagos, é até compreensível haver sonegação. São 5 meses trabalhando apenas para conseguir pagar os impostos e ainda muito mais para conseguir ter o que o estado deveria fornecer gratuitamente (aliás, com o dinheiro dos impostos pagos). 

Qual a sua opinião sobre o assunto? Você concorda com a abordagem dessa edição?

 

Deixe seu comentário!