Brasileiros criam sistema que transforma caixa d’água em miniusina hidrelétrica

0
5358
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Um brasileiro criou uma pílula que combate o câncer testada nele mesmo, que foi curado. O remédio foi banido e um dos distribuidores para pessoas em estado terminal foi preso. (VEJA MAIS SOBRE O CASO)

Um brasileiro criou um mecanismo que, através do hidrogênio da água, aumenta em até 1000% a capacidade de quilometragem do tanque de combustível. A lei brasileira não permitiu que ele comercializasse. (VEJA MAIS SOBRE O CASO)

Um brasileiro criou uma espécie de gasolina sem uso de petróleo, muito mais barata e potente. Ele foi preso. (VEJA MAIS SOBRE O CASO)

Agora, dois empreendedores brasileiros desenvolveram uma solução simples para gerar energia limpa em casa. Abaixo você verá detalhes sobre a brilhante criação, mas a pergunta que fica é, considerando os outros casos revolucionários, que em outros países serviria de orgulho nacional e aqui foram censurados e punidos, qual será o futuro deles e de seu projeto?

por redação CicloVivo

Enquanto cientistas em todo o mundo tentam aumentar a eficiência dos grandes sistemas de produção energética, dois empreendedores brasileiros desenvolveram uma solução simples para gerar energia limpa em casa. Apelidada de UGES, a tecnologia transforma as caixas d’água em miniusinas hidrelétricas.

O nome é uma abreviação de Unidade Geradora de Energia Sustentável e a criação é fruto do trabalho dos engenheiros Mauro Serra e Jorgea Marangon. A tecnologia é simples e pode ser utilizada em qualquer caixa d’água, independente de seu tamanho. “A UGES transforma a passagem da água que abastece os reservatórios em um sistema gerador de energia. Vale destacar que o consumo diário de água no país é, em média, de 250 litros por pessoa, consumo que é totalmente desperdiçado como forma de energia. Ao desenvolver um sistema que reaproveita essa energia, podemos gerar eletricidade, sem emissão de gases e totalmente limpa”, destacou Mauro Serra, em entrevista à Faperj.

A ideia já foi patenteada e logo deve estar disponível no mercado. Além de contar com um sistema instalado dentro do próprio reservatório de água, o UGES também precisa de uma unidade móvel para que seja possível transformar toda a energia captada em eletricidade e assim distribuí-la para o uso doméstico. No entanto, ele não precisa de uma fonte externa de energia para funcionar.

“Ao entrar pela tubulação para abastecer a caixa, a água que vem da rua é pressurizada pelo sistema gerador de energia, passando pela miniusina fixada e angulada na saída de água do reservatório”, explica Serra. Depois disso, a pressão gera energia, que é transformada em eletricidade. O empreendedor explica que a produção é ideal para abastecer lâmpadas, geladeiras, rádios, computadores, ventiladores, entre outros aparelhos domésticos. A energia só não é ideal para ser usada em equipamentos de alto consumo, como chuveiros e secadores de cabelo.

Não é possível quantificar com exatidão a produção, pois a variação depende do tamanho da caixa d’água e da quantidade de água consumida. “Se ela for instalada em um sistema de abastecimento de água municipal, poderá, por exemplo, ser dimensionada para gerar energia suficiente para abastecer a iluminação pública. Imagine então esse benefício em certos locais como restaurantes, lavanderias ou mesmo indústrias, onde o consumo de água é grande”, exemplifica o inventor. Outro ponto positivo do sistema é o armazenamento do excedente para uso posterior e a independência – ao menos, parcial – das redes de distribuição.

Veja também:

Saiba como zerar a conta de energia elétrica através da reciclagem

Cidadão instala inversor fotovoltaico em sua residência e reduz conta de energia a ZERO

Médico francês diz encontrado a cura para o alcoolismo

Especialista afirma: “Dengue não se pega, se fabrica”

Espanhol é ameaçado de morte por criar lâmpada que não queima, é muito mais económica e não polui o meio ambiente.

Deixe seu comentário!