Alckmin se nega a receber notificação que veta aumento de tarifa de passagens em SP

0
232

O Juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho concedeu liminar, após pedido a suspensão do reajuste. A bancada do PT na Assembléia Legislativa foi que entrou com recurso na justiça.

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) se recusou a receber a notificação de decisão judicial que barra o aumento da tarifa da integração entre ônibus e trilhos na última sexta-feira (6).

Com esta recusa, o governo mantém o reajuste de 14,8% entre ônibus e trens da CPTM e ônibus-metrô. As integrações aumentaram de R$ 5,92 para R$ 6,80, valor acima dos 6,4% da inflação (IPCA) projetada para o ano. Já a tarifa básica foi mantida em R$ 3,80 para ônibus e trilhos. Com isto quem mora longe será mais prejudicado.

REAJUSTES NO TRANSPORTE                                                                                       Novas tarifas passaram a valer a partir do dia 8 de janeiro  

reajuste

 

 

 

 

 

 

 

 

No mesmo dia que saiu a liminar, o oficial de justiça relatou em documento anexado ao processo, que por volta das 17h20, foi até a sede do governo estadual para entregar a notificação. Segundo o oficial de justiça, Alckmin não estava, e que o assessor do governador Pedro Henrique Giocondo foi informado do teor da liminar.

A procuradoria do Estado orientou o assessor do governador a não receber a notificação. A assessoria de imprensa do governo afirmou que o assessor citado pelo oficial de justiça “não tem delegação para receber intimações em nome do governador”. A assessoria ainda afirmou que o governador não se recusou a intimação, e que  até as 16h30 desta segunda não houve nova tentativa de citar o governador.

VEJA TAMBÉM:

Governo e prefeitura de São Paulo anunciaram uma parceria para unificar o sistema de ensino estadual e municipal

Movimento de moradia ‘Amigos do Rei’ teve privilégio em governo petista

Tribunais chegam a pagar R$ 55 mil por passagem internacional a Ministro

Ex-mulher de deputado do mensalão está sobre proteção do governo norte-americano e contém dossiê contra Lula e Cunha

Temer vai até casa de Cármen Lúcia tratar de ações para a crise penitenciária.

 

Deixe seu comentário!